Even though no one said it would happen, rolex replica uk buckled under the pressure and began to release larger versions of their classic pieces. Thus, the 41mm wide Rolex Datejust and rolex replica uk Day-Date models were born, while the 36mm wide versions are actually still produced. The 36mm wide and smaller versions of these Rolex pieces are mostly typically preferred by women these days. Both the Rolex Datejust II and Rolex Day-Date II watches come with rolex replica sale's Oyster case. The original water resistant watch, Rolex's famous trademark case style has a screw-down crown and is water resistant to 100 meters. Aside from being larger than its 36mm wide predecessor, the 41mm wide replica watches version isn't really very different. At 41mm wide it wears large given the wide lug structures and relatively wide bracelets. The back of the replica watches uk are also screwed down as part of the heritage of the Oyster case style.
 

 

As vantagens de ter um animal de estimação:

As vantagens de ter um bichinho de estimação compensam os gastos e eventuais preocupações. Confira os resultados de pesquisas recentes. Ter um animalzinho de estimação em casa exige alguns cuidados. Mas o trabalho é pequeno se comparado aos benefícios que eles trazem para a gente. Cerca de 33 milhões de brasileiros que são donos de cães e 17 milhões que têm gatos já descobriram isso. Se você ainda não tem um bichinho de estimação para chamar de seu, saiba que nunca é tarde para adotar. Confira algumas vantagens:
 

  • No contato diário, crianças e animais aprendem a controlar impulsos, entre eles a agressividade.
     

  • Ter um cão ou um gato ajuda a lidar com fatos da vida, como nascimento, reprodução e morte, além de reforçar a autoestima.
     

  • Para pessoas tímidas, os bichos servem como um bom treino para se comunicar melhor.
     

  • Ter um cão ou gato antes de completar 1 ano de idade reduz pela metade o risco de uma criança desenvolver alergias.

 Os benefícios de ter um animal de estimação à saúde Economia com médicos e remédios. Donos de cães e gatos vão menos ao médico, garantem os pesquisadores da Universidade de Cambridge, na Inglaterra. E precisam tomar menos remédios, segundo um estudo australiano. Quando ficam doentes, os donos de cães ainda saem do hospital, em média, dois dias antes que os demais. Coração blindado Em pesquisa em Nova York, corretores da Bolsa de Valores foram submetidos a situações de estresse e só os que tinham um animal de estimação apresentaram taxas normais de pressão arterial. É que a sensação de responsabilidade e companheirismo diminui o nervosismo e dilata os vasos sanguíneos. Um estudo de 1980 já apontava isso: durante um ano, a doutora Erika Friedmann acompanhou 92 homens e mulheres hospitalizados por ataques cardíacos. Ela constatou que 11 dos 39 pacientes sem bichos morreram, enquanto apenas 3 dos 53 donos de cães e gatos tiveram o mesmo fim. Amizades multiplicadas Passear com um cachorro facilita aproximações. Segundo uma pesquisa, pessoas que saem com seu cão acabam fazendo mais amizades do que as que costumam caminhar desacompanhadas. Sensação maior de bem-estar Outro estudo americano, dessa vez realizado com 240 casais, revelou que a presença de um mascote em casa deixa as tarefas do dia a dia muito mais agradáveis, aliviando nossa pressão cotidiana. Segundo o veterinário Johannes Odedaal, essa interação libera endorfina, dopamina e outros hormônios que reduzem a ansiedade, além de relaxar o corpo. "Hormônio do Amor" Mulheres que adotam um cão ou gato filhote passam a produzir mais ocitocina, segundo revela um grupo de cientistas japoneses. Conhecida como hormônio do amor, essa substância é responsável pela alegria quando a mãe dá à luz o bebê e quando o amamenta. Pesquisa realizada nos Estados Unidos comprovou ainda que casais que têm bichos brigam menos do que aqueles que não têm um animal de estimação. Adeus, depressão! A companhia de um cão evita o isolamento de pessoas com idade entre 65 e 78 anos, afastando a depressão, segundo um estudo na Inglaterra. E os benefícios não param por aí: os idosos donos de cães e gatos também se tornam mais ativos e sociáveis, garantem cientistas norte-americanos.