Even though no one said it would happen, rolex replica uk buckled under the pressure and began to release larger versions of their classic pieces. Thus, the 41mm wide Rolex Datejust and rolex replica uk Day-Date models were born, while the 36mm wide versions are actually still produced. The 36mm wide and smaller versions of these Rolex pieces are mostly typically preferred by women these days. Both the Rolex Datejust II and Rolex Day-Date II watches come with rolex replica sale's Oyster case. The original water resistant watch, Rolex's famous trademark case style has a screw-down crown and is water resistant to 100 meters. Aside from being larger than its 36mm wide predecessor, the 41mm wide replica watches version isn't really very different. At 41mm wide it wears large given the wide lug structures and relatively wide bracelets. The back of the replica watches uk are also screwed down as part of the heritage of the Oyster case style.
 

ABRACINO: VALORIZAÇÃO DA CINOTECNIA BRASILEIRA


Com o objetivo de ser referencial de qualidade e compromisso com as questões
cinotécnicas no Brasil, a Abracino busca profissionalizar pessoas, melhorar as
leis de posse responsável de animais, e vem contribuindo de maneira significativa
para a administração e a fiscalização do segmento.

Capitão Daniel Ignácio e Pantera de Jomaiana


Fundada em 1º de julho de 2003, a Associação Brasileira de Cinotécnicos (Abracino) tem representado o setor da cinotecnia com grande dedicação e responsabilidade. Seu foco é justamente promover a melhoria das condições de vida, saúde, estética, estrutura, temperamento e adestramento dos animais
em especial cães de trabalho, esporte e companhia. Para isso, a associação tem representado os interesses dos cinotécnicos, com a visão do reconhecimento e regulamentação desta profissão, que a cada dia assume fundamental importância no Brasil.

Com Eduardo Gustavo Sprotte exercendo a presidência, seguido de Daniel Augusto Ramos. Ignácio com vice - presidente e Décio Tommasini Carraro, responsável pela superintendência de marketing, a Abracino reúne em seu quadro social, profissionais de todo o Brasil que trabalham com cães e demais pets, tais como: adestradores, handlers, criadores, dog sitters, tosadores, groomings, tratadores, banhistas, funcionários de canis e outros. De acordo com o vice presidente da Abracino e ex - Militar do Estado de São Paulo, Capitão PM Daniel Ignácio, a associação tem como filosofia promover a cultura, a pesquisa, a técnica e o desenvolvimento das profissões ligadas a cinofilia, sempre trabalhando em prol da melhoria do animal. Localizada na Zona Norte de São Paulo, a associação conta atualmente com os três superintendentes e cerca de 50 associados. Para filiar-se a Abracino, é necessário que profissional da área tenha sua aptidão comprovada. Além disso os associados deverão contribuir com uma anuidade no valor de R$ 150,00 ou
mensalidade de R$ 15,00. Valores esses, fixados anualmente pela Assembléia Geral ordinária, por proposta da diretoria executiva.

Ao focar o aspecto "integrante Abracino", a associação visa criar medidas que promovam as profissões cinotécnicas e que atendam suas necessidades sociais. Para isso, a Abracino oferece aos associados cursos profissionalizantes permanentes, com consideráveis descontos, e orientação para administração
e legalização de suas atividades. Além disso, seus integrantes têm facilidades na aquisição de planos de saúde, seguros profissionais e convênios com fornecedores de materiais de interesse, atividades recreativas e sociais.
São diversas as iniciativas que a Associação Brasileira de Cinotécnicos desenvolve, a fim de fortalecer cada vez mais direito dos animais. Dentro os projetos realizados pela Abricino, estão o curso de formação de Adestradores de Cães e a Posse Responsável com o concurso de manejo e adestramento básico para proprietários de cães. O vice-presidente, Daniel Ignácio, ressalta que Abracino visa forma os adestradores de cães com curso reconhecido pelo MEC, além de reconhecer as profissões cinotécnicas junto ao Ministério do Trabalho e disciplinar questões como a posse de cães bravios, assim como a criação e comercialização de cães. A Abracino ainda conta com parcerias junto a empresas e ONGs, com o objetivo de melhorar a questão de vida, saúde, segurança, bem-estar e trabalho dos cães.
"tais projetos têm como objetivo fortalecer cada vez mais o direito dos animais e a responsabilidade na posse dos mesmos, assim como capacitar as pessoas a exercerem com qualidade suas atividades", observa Daniel Ignácio.
O primeiro Simpósio Abracino de Posse Responsável é um exemplo do excelente trabalho que a associação vem desenvolvendo. Direcionado às pessoas que interagem com animais - principalmente cães - o simpósio foi realizado na Câmara Municipal de São Paulo, no mês de maio, e contou com a

presença de diversas personalidades, como o vereador Roberto Trípoli e o Secretário Estadual da Juventude do Esporte e Lazer do Estado de São Paulo, Lars Grael. Durante todo o dia do simpósio, foram realizadas palestras e debates, que abordaramtemas, como posse responsável, controle e criação de cães com potencial agressivo, papel das associações cinotécnicas e kennel Clubes e reconhecimento da profissão de adestrador de cães. Para os diretores da Abracino, o evento atingiu as expectativas desatisfatórios resultados, onde puderam constatar que os apoios recebidos se deram do reconhecimento da sociedade decorrentes de seus esforços, honestidade e pela lisura das propostas apresentadas. "Estamos sempre abertos e atentos às melhorias dos segmentos, quando nossas expectativas se resumem nas melhores possíveis", enfatiza o vice-presidente. Ao mencionar a visão da cinotecnia no Brasil, Daniel Ignácio enfatiza que o mercado pet tem crescido de forma constante. No entanto ele ressalta ser de extrema importância que haja uma maior atenção às leis, às questões sociais e aos direitos dos animais e, não simplesmente o usufruto financeiro da situação. "O governo e a sociedade civil devem se comprometer em melhorar o trato com os animais, de maneira a responsabilizar, tanto civil como criminalmente, os infratores e oportunista que exploram os animais de forma cruel", conclui o vice presidente da Abracino.